Hálux Valgo

O Hálux Valgo, conhecido como joanete, é a deformidade mais comum do pé. Ao contrário da crença popular, não se trata apenas de um crescimento ósseo que leva a formação de uma saliência na parte interna do pé. O hálux valgo é uma deformidade complexa caracterizada pelo deslocamento progressivo do dedão (o hálux) em direção aos pequenos dedos e deslocamento para dentro do primeiro metatarso (osso longo que liga o hálux ao centro do pé). Dependendo da gravidade pode causar dor, inchaço local, queimação, dificuldade em calçar, calosidades e até deformidades nos dedos adjacentes.


halux-valgo

As mulheres são mais acometidas, principalmente na idade entre 20 e 40 anos, porém uma pequena porcentagem de pessoas desenvolvem essa alteração na infância ou na adolescência.


As causas do hálux valgo são diversas e costumamos apontar diversos fatores:


• Predisposição genética: Sabe-se que aproximadamente 60% dos pacientes possuem familiares que também apresentam joanete.

• Doenças reumatológicas: Doenças como artrite reumatóide e gota são causadoras do hálux valgo.

• Anatomia dos pés: O formato das articulações, pés planos, frouxidão dos ligamentos e formato dos dedos são fatores importantes que predispõe a formação do hálux valgo.

• Calçados de salto alto, bico fino ou apertados: Tendem a agravar bastante as deformidades. É importante entender que eles não causam o joanete, mas sim agravavam as deformidades que estão se desenvolvendo ou as já existentes.


Normalmente, o exame físico do paciente e radiografias simples do pé com apoio já são suficientes para o diagnóstico do hálux valgo. Uma vez feito o diagnóstico, iniciamos o tratamento de acordo com a gravidade da deformidade e a queixa do paciente. Em casos leves ou pouco sintomáticos (dores leves ou esporádicas) costumamos instituir incialmente o tratamento conservador (sem realização de procedimentos cirúrgicos). Nesses casos orientamos mudanças no uso de calçados, evitando uso de sapatos apertados, salto alto ou bicos finos. Aplicação de gelo local, pomadas, ou mesmo proteção da saliência com protetores ortopédicos e afastadores de dedos podem amenizar as queixas. É importante informar que essas medidas não corrigem a deformidade, mas sim tem o propósito de aliviar os sintomas e impedir o agravamento dos joanetes.


Nos casos mais graves ou com queixas persistentes, instituímos o tratamento cirúrgico. Existem diversas técnicas utilizadas e o bom resultado da cirurgia depende da utilização da técnica mais adequada para cada caso. O procedimento mais comum para a correção dos joanetes são as osteotomias, cortes ósseos realizados para corrigir o desalinhamento do hálux. Após a correção da alteração óssea devemos realizar a fixação das osteotomias, que pode ser feitas com parafusos ou placas, garantindo a permanência da correção. Ao contrário do que muitos pensam, as placas e parafusos não doem, não costumam ficar salientes na pele e geralmente não necessitam ser retiradas. Existem também técnicas percutâneas, realizadas através de pequenas incisões e sem a utilização de placas ou parafusos. Essas técnicas devem ser utilizadas em situações específicas e cada caso tem de ser avaliado individualmente.

halux-valgo

O pós-operatório depende do procedimento cirúrgico realizado. Na maioria das vezes o paciente é aconselhado a usar, no primeiro mês, a sandália de Barouk, um calçado especial que tem o apoio no calcanhar, possibilitando que o paciente se locomova sem prejudicar a região operada. As técnicas percutâneas permitem que o paciente pise com todo o pé já no primeiro dia pós-operatório, também com a utilização de calçados apropriados.


Uma pergunta muito comum nos consultórios médicos é de que mesmo operando, o joanete pode “voltar” (recidiva). Na verdade, a recidiva normalmente é ocasionada pela utilização de uma técnica não adequada para a deformidade abordada, por isso a importância de se procurar um médico especialista para a avaliação do seu caso. Com o tratamento adequado, aproximadamente 90% dos pacientes ficam extremamente satisfeitos com o procedimento cirúrgico. Outra dúvida muito comum é em relação a dor no pós-operatório. Normalmente isso pouco acontece e as dores são controladas de forma eficaz com analgésicos e anti-inflamatórios.


Resumindo: o hálux valgo é uma entidade complexa caracterizada por diversas alterações ósseas, ligamentares e musculares. As causas são diversas e devem ser avaliadas cuidadosamente. O tratamento não cirúrgico visa aliviar os sintomas, porém não corrige a deformidade. A cirurgia realizada com técnica adequada traz ótimos resultados com elevado grau de satisfação dos pacientes. É de extrema importância realizar o tratamento do hálux valgo com um médico especialista, para que ele escolha forma mais adequada para o seu caso.